O governo estadual confirmou nesta terça-feira (17) o primeiro caso no Brasil de morte de uma pessoa infectada pelo novo coronavírus.

A vítima é um morador de São Paulo, de 62 anos que estava internado em um hospital particular da capital paulista. O homem já tinha histórico de diabetes e hipertensão, além de hiperplasia prostática — um aumento benigno da próstata que não é uma doença, mas uma condição comum em homens mais velhos e que pode causar infecções urinárias.

A vítima teve os primeiros sintomas da doença em 10 de março e foi internado 4 dias depois.  

“Infelizmente o ocorrido foi o primeiro óbito aqui. Um homem morador de São Paulo internado num hospital privado e o diagnóstico de coronavírus foi feito também por um laboratório privado. Ele veio a óbito ontem 16h03 e não tem histórico. Fomos informados oficialmente hoje às 10h. Existem quatro outros óbitos neste mesmo serviço particular que estão sendo investigados. Assim que tivermos informações sendo ou não coronavírus vamos informá-los”, afirmou David Uip, infectologista e coordenador do Centro de Contigência para o coronavírus no estado de São Paulo. 

No momento em que a morte foi anunciada pelo governo de São Paulo, havia 314 casos da doença causada pelo vírus em todo o Brasil, confirmados pelas secretarias de Saúde dos estados.  Destes, 164 casos são de São Paulo.

DOAÇÕES DE SANGUE

Médico, Sangue, Vida, Veias, Dor, Retirada, Enfermeiros

O governo do estado de São Paulo fez um alerta e um pedido à população da cidade de São Paulo para que façam doações de sangue.

“Eu preciso dar um informe, que preciso de muito apoio de vocês: os nossos bancos de sangue estão praticamente sem sangue. O banco de sangue que tem mais sangue, tem sangue hoje para praticamente uma uma semana”, declarou David Uip. 

De acordo com o governo de SP, o surto de COVID-19 pode durar de quatro à cinco meses. Confira abaixo algumas dicas criadas pelo G1 de prevenção: 

Ciclo do coronavírus — Foto: Foto: Arte/G1

Guia de isolamento domiciliar por causa do novo coronavírus — Foto: Arte/G1

O Geração Mais pede a todos que tiverem disponibilidade, para se isolarem e tomarem as devidas precauções. Seguindo todas as dicas e métodos de prevenção conforme orientações dos Órgãos de Sáude, podemos, de fato, diminuir o risco de contágio e o número de infectados. 

Natália Mendes

Natália Mendes

Jornalista e redatora no Geração +, fascinada pelo universo dos filmes e da música. Busco levar o conhecimento para outros ao meu redor e poder entender um pouco mais sobre nosso mundo.

Um Comentário

Deixe uma Resposta